Flávio Castro

Ano: 2012  |  Localização: Santana de Parnaíba, SP, Brasil  |  Área construída: 575m²  |  Área do terreno: 823m²   |  Render: Fred Meyer 

Criada como um grande pavilhão que oferece inúmeras possibilidades de ocupação, os espaços enclausurados da casa são equiparáveis à ilhas estrategicamente posicionadas em virtude da funcionalidade e fluxos de circulação. Inspirada no conceito Dominó de Le Corbusier, a estrutura está composta por lajes horizontais e pontuais pilares afastados das fachadas. A casa foi implantada na parte dianteira da propriedade para servir de barreira visual desde a rua (privacidade) e liberar um grande pátio posterior privativo para a intensa convivência social. Em um terreno com certo desnível lateral, a fachada retangular está alinhada à rua existente e proporciona o acesso direto ao pavimento térreo a partir do lado esquerdo do lote. Pelo lado direito, temos a rampa da garagem que “destaca” o pavilhão do solo (mais um elemento do conceito Dominó) e oferece, como único ponto de apoio, a circulação vertical enclausurada por uma estrutura em aço corten. No pavimento superior existe uma serie de compartimentações que abrigam as suítes e dois pontos específicos que estabelecem relação visual direta com o exterior: o corredor de distribuição pela fachada posterior e o terraço privativo da suíte máster pela fachada frontal. São como dois pontos de exceção na composição arquitetônica proposta. Ao fundo do terreno, esta o pavilhão que completa o programa de usos pedido pelos clientes. Separado da casa pelo intervalo composto pela piscina e deck, a área de churrasqueira cria certa tensão entre sua própria volumetria e a casa. Assim sendo, espaço de intervalo gera a dualidade entre “ver” e “ser visto”, dissolvendo a noção de anexo e gerando qualidade espacial ao pátio posterior.